Nina Simone e Morris Albert


Olha aí: Nina Simone tocando “Feelings” do Morris Albert (nome artístico de Maurício Alberto Kaisermann, carioca que compôs umas coisinhas em inglês, entre elas esta). Eu gostava dessa música. E gosto de outras breguices românticas piores do que esta. Quando aprender a tocar piano, vou incluir esta no repertório e, se alguém questionar, vou dizer que a Nina Simone também tocava e mostrar a língua. Problema meu, ninguém tem nada com isso, me lixando para os incomodados. Sem mais.


via @soudnsbrazilian





PS: E aí que voltei a ouvir o vídeo da Nina Simone neste post pensando “ninguém pode negar que essa melodia é linda, né?” (A letra também é muito boa, na minha opinião, mas aí já admito que possa haver controvérsias). E vasculhando por aí achei algumas coisinhas interessantes que não sabia. Primeiro: que estive longe de ser minoria no “eu gostava dessa música” (breguice confessada aqui muito na defensiva). Foi um sucessão internacional. Um lugar aí diz que está entre as músicas mais regravadas de todos os tempos (o que não necessariamente é critério de qualidade, enfim, embora ter entrado em repertório de Nina Simone sim seja). Aí achei gravação por Elvis Presley. Aí achei que Morris Aubert perdeu um processo por plágio da melodia de “Pour Toi” (1956), do compositor francês Louis Gasté. Aí achei “Pour Toi” e, de fato, praticamente impossível ser mera coincidência: plágio na lata. Aí olhei a letra de “Pour Toi”, gostei, mas continuo preferindo “Feelings” (tsc tsc Morris Aubert, coisa feia: custava atribuir autoria da melodia e ficar com autoria da letra?) Aí achei que Mike Brant gravou a melodia de “Pour Toi” com substituição da letra por uma intitulada “Di lui”. Uma República de Babel em torno da canção, como se pode ver. E aí que continuo preferindo as gravações em inglês, com Nina Simone e a feita pelo próprio Morris Aubert. (Bom, nunca “adorei” o estilo do Elvis cantar, para falar a verdade, não é surpresa que eu não goste tanto assim da gravação dele.) Gostei especialmente da gravação da Muriel Chante para “Pour toi” também. Quem diria que a brincadeira com Nina Simone cantando a música romântico-melada-dor-de-cotovelo-semi-suicida do Morris Aubert que eu gostava ia render isso tudo, hem? O atordoamento foi tal que até considerei a possibilidade de fazer minha própria gravação agora mesmo, antes de aprender a tocar piano, mas resolvi poupá-lxs, por enquanto. De nada.



Feelings – Elvis





Pour Toi – Line Renauld





Pour Toi – Muriel Chante

[Já começo a ficar em dúvida sobre qual letra prefiro. Bonitésima a de Pour Toi também. Ó só o trecho: “Sans toi le jour ressemble la nuit, la vie ressemble la mort. Ce soir, écoutez-moi.” Não me suicidei por um triz… Piadas à parte, é uma letra bem bacana mesmo.]

Read more: Voisine Roch – Pour Toi Lyrics | MetroLyrics ]





Só no piano (fica claríssimo o plágio)





Feelings – Morris Albert





Morris Albert e Danniel Costa no Altas Horas




E aí – tchan tchan – a pérola final nessa buscaiada toda: versão em castelhano, “Sentimientos (Dime)”, com “dime” no lugar de “feelings”, e com o vídeo do Morris Albert cantando em inglês dublado.





E já que estamos nesse labirinto babélico, o “Dime” romântico acima me fez lembrar o “Dime” abaixo. Notar a raptura para um tema romântico do gospel no coral. E na letra também: “Dime dónde va la fe, que se desploma cuando no te ve. Dime dónde va el amor, si te vas.” “Sin ganas de luchar hacia un credo, y siempre queda cerca un cielo.” “Dime si hay un credo para mí, si estoy sin ti”. “Dónde estás que no encuentro las alas y el viento”. Representação perfeita da divinização amorosa. Tem como alguém com Vênus em Peixes não adorar essa blasfêmica fusão sagrado-profano, com cara de “Cântico dos cânticos” (“busquei aquele que minh’alma ama, busquei-o e não o encontrei”)? Golpe de mestra.





Último PS de muitos: Fica o “Dez célebres caso de plágio na música” – artigo publicado uns dez meses depois deste post, em 24/08/2014, na BBC Brasil. Sim: o caso de “Feelings” é um deles. E atualmente o crédito da canção é Gasté/Morris, informa o artigo. Publicado em 27/02/2015, no blog Songbook, um histórico bem completo do DNA e andanças da canção que, a essas altura, já nem sei dizer o nome nem de quem é.

Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Música, TV Mofo e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s