Praia da Estação em BH





“Ocupar o espaço público é um ato político, cívico, urbano e divertido”

Na Folha de São Paulo, 15/02/2013
Via tuíte de @andrejcaetano

Por meio de um debate via e-mail, um grupo de jovens se mobilizou para usar a Praça da Estação, um dos pontos turísticos mais antigos de Belo Horizonte, como local de encontro no verão.

A ideia partiu diante de um decreto, de 2009, da prefeitura mineira, que proibia a realização de eventos de qualquer natureza na praça.

De forma horizontal, sem liderança e auto-organizado, o movimento transformou o espaço na Praia da Estação, onde “banhistas” mineiros e movimentos políticos se unem em blocos de Carnaval.

“O espaço público sempre foi um lugar de aprendizado e troca e vivência urbana”, diz Fernando Soares, estudante de arquitetura.

Desde 2010, o grupo de e-mail chamado “Praça Livre” reúne de 20 a 500 pessoas na praça. Os participantes, muitas vezes desconhecidos, mas com interesses em comum, levam cadeiras de praia, guarda-sol, caixas de isopor e até farofa.

Para refrescar, o banho é garantido pelas fontes da praça e por um caminhão-pipa contratado com o dinheiro de uma vaquinha feita na hora, entre os próprios banhistas.

“É impossível que exista qualquer instrumento jurídico que impeça o cidadão livre de viver a experiência que a praça proporciona”, diz Rafael Barros, 29, antropólogo e produtor cultural.

Durante o encontro, o grupo também discute outras questões relativas à ocupação e à organização do espaço público na cidade e elaboram ações para chamar a atenção do poder público para o tema.

“Ocupar o espaço público é um ato político, cívico, urbano e divertido”, afirma a arquiteta e urbanista Fernanda Musa.

Até a abertura da Copa do Mundo, o Imagina na Copa vai contar 75 histórias de jovens que estão transformando o Brasil para melhor.

Os vídeos serão publicados no site http://www.imaginanacopa.com.br e aqui, no Empreendedor Social.

Anúncios

Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Cidade, Grandes sacadas, Política e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s