Conto da lua cheia


Tempo faz.
Tempo desfaz.
Sempre.



NO RASTRO DA LUA CHEIA
Almir Sater/Renato Teixeira

No quintal lá de casa
passava um pequeno rio
que descia lá da serra
ligeiro escorregadio.
A agua era cristalina
que dava pra ver o chão
ia cortando a floresta
na direção do sertão.
Lembrança ainda me resta
guardada no coração.

E tudo era azul celeste
brasileiro cor de anil.
Nem bem começava o ano
já era final de abril.
O vento pastoreando
aquelas nuvens no céu
fazia o mundo girar
veloz como um carrossel
e levantava a poeira
e me arrancava o chapéu.

Ah, o tempo faz
tempo desfaz

e vai além
sempre

A vida vem lá de longe,
é como se fosse um rio.
Pra rio pequeno canoa,
Pros grandes rios navios.
E bem lá no fim de tudo,
começo de outro lugar,
será como Deus quiser,
como o destino mandar.
No rastro da lua cheia
se chega em qualquer lugar.



Anúncios

Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Música, Pílulas de poesia e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s