La cucharada estrecha – Julio Cortázar

Imagem no “Blogs de la Gente”. Clique na imagem para ir à sua fonte.

   Un fama descubrió que la virtud era un microbio redondo y lleno de patas. Instantáneamente dio a beber una gran cucharada de virtud a su suegra. El resultado fue horrible: esta señora renunció a sus comentarios mordaces, fundó un club para la protección de alpinistas extraviados, y en menos de dos meses se condujo de manera tan ejemplar que los defectos de su hija, hasta entonces inadvertidos, pasaron a primer plano con gran sobresalto y estupefacción del fama. No le quedó más remedio que dar una cucharada de virtud a su mujer, la cual lo abandonó esa misma noche por encontrarlo grosero, insignificante, y en un todo diferente de los arquetipos morales que flotaban rutilando ante sus ojos.
    El fama lo pensó largamente, y al final se tomó un frasco de virtud. Pero lo mismo sigue viviendo solo y triste. Cuando se cruza en la calle con su suegra o su mujer, ambos se saludan respetuosamente y desde lejos. No se atreven ni siquiera a hablarse, tanta es su respectiva perfección y el miedo que tienen de contaminarse.


CORTÁZAR, Julio. Historias de Cronopios y de Famas. Buenos Aires: Sudamericana, 1994 (1 ed. 1962) , p. 136.


A COLHERADA ESTREITA

     Um fama descobriu que a virtude era um micróbio redondo e cheio de patas. Instantaneamente deu de beber à sua sogra uma grande colherada de virtude. O resultado foi horrível: essa senhora renunciou a seus comentários mordazes, fundou um clube para proteção de alpinistas extraviados e em menos de dois meses se comportou de forma tão exemplar que os defeitos de sua filha, inadvertidos até então, passaram ao primeiro plano, para grande sobressalto e assombro do fama. Não lhe restou outro remédio senão dar uma colherada de virtude à sua mulher, que o abandonou naquela mesma noite por achá-lo grosseiro, insignificante e completamente diferente dos padrões morais que flutuavam rutilando ante seus olhos.
O fama refletiu longamente e afinal tomou ele próprio um frasco de virtude. Mas este continua vivendo solitário e triste. Quando cruza na rua com sua sogra ou sua mulher, ambos se cumprimentam respeitosamente e de longe. Não se atrevem sequer a conversar, tamanha é sua respectiva perfeição e o medo que têm de contaminar-se.


CORTÁZAR, Julio. Histórias de cronopios y de famas. Trad. Gloria Rodríguez [um pouco modificada]. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007 (10 ed.) , p. 111.


Nota: Julio Cortázar é um dos meus Hotxuás.


Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Literatura adorada, Meus Hotxuás, Relações humanas, Textos instigantes e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s