Mobbing – Iñaki Piñuel

“En las sociedades de nuestro mundo occidental altamente industrializado, el lugar de trabajo constituye el último campo de batalla en el que una persona puede matar a otra sin ningún riesgo de llegar a ser procesada ante un tribunal” – Heinz Leymann

“La única batalla que se pierde es aquella que se abandona” – Hebe de Bonafini

As citações acima são epígrafes do livro Mobbing, de Iñaki Piñuel. Ele também discute o tema na aula filmada e disponibilizada nos vídeos abaixo.

1. Mobbing. Definição e limites: o que é o assédio psicológico no trabalho.

2. Mobbing. Causas e efeitos do assédio psicológico: a indefensão

3. Mobbing. O assédio como processo de perseguição sistemático

4. Mobbing. O objetivo: eliminar a pessoa “ameaçadora”

5. Mobbing. A acusação falsa no assédio

6. Mobbing. Características centrais e “fenômenos estranhos” relacionados

7. Mobbing. O mecanismo do bode expiatório

Iñaki Piñuel y Zabala é professor e pesquisador na Universidad de Alcalá, Espanha. Em seu canal no YouTube disponibiliza os vídeos acima e outros sobre mobbing e violências psíquicas. Seu livro Mobbing: cómo sobrevivir al acoso psicológico en el trabajo pode ser conseguido na Livraria Cultura e foi traduzido para o português, se me lembro bem.  Iñaki Piñuel explica o mobbing como hostilização e agressões deliberadas aplicadas sistematicamente durante um período significativo de tempo, no ambiente de trabalho, para intencionalmente desestabilizar e eliminar uma pessoa. Suas colocações parecem importantes, não só para o que se refere ao mobbing assim definido, mas também para que mecanismos de violência psíquica em geral ganhem mais visibilidade, para que seus efeitos sejam levados mais em consideração. Talvez todos precisemos dar atenção ao fato de que pequenas agressões, agulhadas verbais, formulações negativas constantes sobre uma pessoa (essa maldição que há no “dizer mal”) podem causar danos concretos à saúde, especialmente se são repetitivos e sistemáticos. “Cuidemos nossas hostilidades verbais e gestuais: seu alcance pode ser maior do que imaginamos”, parece poder ser a principal lição da aula desse especialista na questão do mobbing. Cultivar mais a gentileza e o cuidado com o outro na convivência social. Talvez as palavras e os gestos sejam mais “mágicos”, mais potentes do que imaginamos, em seus efeitos sobre o outro. Por outro lado, aprender a nos defender desses comportamentos quando os afetados somos nós mesmos, na medida do possível sem violência reativa, mas sem minimizá-los, encontrar formas de defender-nos internamente e externamente, é um desafio, e talvez o primeiro passo seja trazer tais comportamentos mais à conciência e levar a sério seus possíveis efeitos. Sinto admiração especial pelo trabalho de Iñaki Piñuel porque realmente me ajudou a reagir em algumas situações importantes, com dignidade, e em algumas também com compreensão, sem supor que necessariamente a agressão era de fato deliberada ou perversa, quando poderia não ser o caso, mas sem perder de vista a dimensão de seu alcance. Também tem me feito ter mais cuidado no trato com as pessoas.

Neste link outro bom vídeo sobre o tema, que sugere que há algo que incita ao mobbing que pode ser intrínseco de certas organizações e pressupostos empresariais que incentivam a competitividade selvagem, a produtividade desumana. Explicita-se também o alto custo que pode ter o mobbing para uma empresa, para uma instituição e mesmo para o Estado, já que deriva num problema de saúde pública, por inutilizar para o trabalho alguém em quem houve investimentos de formação e preparação profissional. Infelizmente, outro vídeo muito bom desapareceu do YouTube de uns meses para cá.

Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Condição das mulheres, Relações humanas, Saúde, Violências e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s