O olho do furacão – Jane Elliott

As guerras seguirão enquanto a cor da pele tiver maior significado que a cor dos olhos. ~Bob Marley~

The eye of the storm = the center of a disagreement [o centro de uma situação de conflito]
Etymology: based on the literal meaning of “the eye of the storm” (the middle of a mass of severe weather) [baseado no sentido literal: o centro de uma região em que está havendo tempestades]
(Estar) no olho do furacão = estar no centro de um problema, de uma situação muito ruim, ser vitima principal de um distúrbio
Sentido literal: região central de uma forte tempestade tropical, na qual, no entanto, persiste tempo calmo, podendo-se mesmo avistar céu limpo. Como figura de linguagem, deveria designar um ponto de calma e tranquilidade em meio à confusão, à pressa ou tensão; contudo, a expressão é frequentemente utilizada com sentido inverso.

Há poucos dias reproduzi aqui um post chamado Olhos azuis: a dor do preconceito, encontrado no site Pragmatismo Político. O post traz um documentário filmado em um workshop sobre discriminação, oferecido nos Estados Unidos pela socióloga Jane Elliott.

Ontem (13/11/2011) a GNT passou esse documentário, houve vários acessos ao post Olhos azuis. A Iza deixou um comentário, em que perguntava pelo primeiro documentário sobre preconceito que foi feito por Jane Elliott, com uma turma de terceira série, da qual era professora. Após o assassinato do ativista político negro Martin Luther King Jr., em 1968, a professora Jane Elliott começou a se perguntar sobre como trabalhar de forma realmente efetiva a questão do racismo e da discriminação com as crianças para as quais dava aulas, todas elas brancas, morando numa cidade dos Estados Unidos onde a população era praticamente toda branca. Lembrando do que havia lido sobre o nazismo e seu ideal de um mundo dominado pela raça ariana, situação em que chegou-se a dar grande importância também à cor dos olhos (aos olhos azuis), Jane Elliott concebeu uma dinâmica de grupo que consistia em propor à classe um “jogo” em que, no primeiro dia, as crianças de olhos escuros seriam as “inferiores” e, no segundo, as de olhos azuis passavam a ser as “piores”, menos inteligentes, menos dignas, que as de olhos escuros. Um documentário foi feito a partir de uma dessas dinâmicas com um grupo de crianças. Chamou-se The eye of the storm. O título, até onde entendo, é um trocadilho com uma expressão que significa algo como “No olho do furacão”. A única versão mais longa do documentário que encontrei estava no canal de Marvin Baker, no YouTube. Talvez os vídeos não tenham o documentário na íntegra, mas mostram o suficiente para dar uma boa idéia do que foram essas dinâmicas de grupo da professora com os alunos. A reação das crianças no final é muito bonita. Infelizmente, não encontrei nenhuma versão legendada. Fica disponibilizado em inglês abaixo. Se alguém que passar por aqui  encontrar uma versão legendada, agradeceria se avisasse.

Na busca também encontrei vídeos de um terceiro documentário, de outro workshop de Jane Elliott feito com adultos. Os vídeos estão no YouTube com o título The Angry Eye. Por fim, num outro vídeo, a apresentadora negra Oprah Winfrey mostra algo mais sobre as experiências de Jane Elliott e traz outra reportagem interessante: sobre um rapaz branco que, durante alguns dias, tornou-se artificialmente negro, hospedou-se num hotel em Gainesville, cidade onde não era conhecido, e fala sobre como as pessoas se comportaram com relação a ele. Neste último vídeo, a um senhor de sua platéia que diz que “Deus criou as raças”, Jane Elliott responde: “Deus criou uma única raça: a raça humana. Foram os seres humanos que criaram o racismo”. Em todos os vídeos, Jane Elliott insiste que seus workshops são sobre qualquer tipo de discriminação: por raça, sexo, orientação sexual, idade, religião, nacionalidade… qualquer característica a partir da qual se é estigmatizado como inferior por outro grupo diferente que detém mais poder, e se é submetido socialmente a abusos, hostilizações, desigualdade de direitos… a um uso opressivo do poder.

The Eye of the Storm – Parte 1

The Eye of the Storm – Parte 2

Sobre o documentário

Anúncios

Sobre Ani

Outros que contem passo por passo | Eu morro ontem | Nasço amanhã | Ando onde há espaço: | – Meu tempo é quando. ~Vinicius de Moraes~
Esse post foi publicado em Gente admirada, Relações humanas, Violências e marcado , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para O olho do furacão – Jane Elliott

  1. Daniela disse:

    Tem o link com legenda?

    • Ani disse:

      Daniela, bem-vinda ao blog. Não encontrei esse documentário com as crianças legendado. Aqui no blog tem uma atividade que Jane Elliot fez com adultos que está legendada (post Olhos azuis). Parte do exercício com as crianças aparece legendado aqui http://www.youtube.com/watch?v=3fcJLoiPxfM, mas é uma parte bem pequena do que aparece nos vídeos acima.

    • Ani disse:

      Muito muito grata pelo link, Tom. Tem um post sobre “Olhos azuis” aqui no blog [https://anidabar.wordpress.com/2011/11/05/olhos-azuis-preconceito/], mas os vídeos, que eram do YouTube, foram removidos de lá. Abraço.

  2. Eduardo disse:

    Experiência com as crianças legendado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s